11 de abril de 2018

“NO SEU NOME SERÃO ANUNCIADOS A CONVERSÃO E O PERDÃO DOS PECADOS A TODAS AS NAÇÕES”

Estimados irmãos e irmãs. Quanta alegria o Senhor nos concede ao fazer-nos participar da atualização do sacrifício da Cruz, que é a santa Missa. Em cada uma delas somos abençoados abundantemente, pois o próprio Cristo se dá como alimento para nossa caminhada rumo ao paraíso. Como você tem participado deste ato em que celebramos o mistério da nossa fé?

Continuamos refletindo sobre a ressurreição do Senhor, ponto que fundamenta a nossa fé. Cremos em Cristo ressuscitado, vencedor e com Ele e por Ele somos conduzidos a vitória sobre este mundo e o pecado. Este caminho se dá pela vivência dos valores evangélicos ensinados pela sua Palavra e pela Igreja que recebeu dele o poder de interpretar as Escrituras e nos instruir. Pois, como nos diz São João (1Jo 2,1-5ª - 2ª Leitura), “quem diz: “Eu conheço a Deus”, mas não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele”. Conhecemos a Deus através da sua Palavra, dos ensinamentos da Igreja e pela Eucaristia bem celebrada e vivida no cotidiano como doação e comunhão com Deus e com os irmãos.

Instruídos pela Palavra, gravando-a em nosso coração, seremos provocados à uma vida de retidão. O Senhor convoca todos para que se convertam e confessando, reconhecendo seus pecados e limitações, peçam perdão e sejam conduzidos a Salvação eterna (Evangelho Lc 24,35-48). Torna os discípulos, e hoje todos os batizados, testemunhas de tudo isso; testemunhas de todas as maravilhas que o Senhor realizou em nosso favor, testemunhas alegres da misericórdia.

Pedro, também assim exorta aos destinatários da sua mensagem: “Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos, para que vossos pecados sejam perdoados” (1ª Leitura At 3,13-15.17-19). Caminho permanente de todo batizado, pois diariamente somos confrontados com situações que querem nos afastar dos caminhos do Senhor.

Queridos irmãos e irmãs. Cristo Jesus fez sua parte ao aceitar o plano do Pai. Aceita-lo em nossa vida é viver tudo o que Ele nos ensinou. Não basta dizer, gritar que cremos. É necessário transformar nossa fé em obras. Mas não são as obras que nos salvam. Elas manifestam que somos de Deus. Quem nos salva, é a sua graça. Não existe outra forma, nada que possamos oferecer que justifique nossos pecados. Só a graça e a misericórdia de Deus. Crer e viver é o caminho.

As vezes deixamos que a dúvida, o medo, as incertezas tirem a paz do nosso coração. Vale para nós a chamada de atenção que Jesus dá aos discípulos: “Por que estais preocupados, e por que tendes dúvidas no coração?” Não precisamos mais de nenhuma prova que Deus nos ama. Tudo o que Ele já fez por nós manifestam o quanto somos amados e queridos por nosso Deus. A dúvida, o medo, as preocupações excessivas, as incertezas são típicas de uma pessoa que tem pouca fé. Quando cremos em Deus, sabemos que Ele cuida de nós; vivemos em paz e somos instrumentos da paz. E quando Ele cuida de nós, não temos nada a temer, pois ninguém pode nada contra Ele. Claro que não podemos ser ingênuos a ponto de nos expormos a eventos perigosos e querermos que Deus nos livre em um passe de mágica.

Cada dia precisamos fortalecer a nossa fé no ressuscitado por meio da sua Palavra e de modo especial, da Eucaristia.

Abençoada semana!

Saudações,
Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência