3 de fevereiro de 2018

VAMOS A OUTROS LUGARES, FOI PARA ISSO QUE EU VIM!



Estimados irmãos e irmãs, amigos e amigas. Avançamos já para o 5º Domingo do Tempo Comum e o segundo mês do ano. Nesta correria em que estamos imersos, torna-se cada vez mais necessário saber administrar bem nosso tempo para não sermos sufocados pelos afazeres e deixarmos de lado nossa dimensão espiritual. Sabemos que uma vida equilibrada torna-se mais prazerosa. Para atingirmos esse equilíbrio precisamos cuidar da saúde física, da saúde mental com boas e sadias leituras, e da saúde espiritual rezando para estarmos em sintonia com nosso criador. Ele nos quer próximos dele para nos ensinar a viver com sabedoria o dom da vida que nos deu.

O tempo sempre foi igual. Hoje enchemo-nos com muitas ocupações e se não soubermos administrá-las, seremos sufocados e não conseguiremos ter uma qualidade de vida. Somos nós que administramos o nosso tempo. Não podemos desperdiça-lo com coisas insignificantes e nem permitir que as mídias digitais nos aprisionem. Todos os recursos das ciências e tecnologias estão a nosso dispor e devem nos ajudar a viver melhor e não nos tornar escravos delas.

Jesus sabia administrar muito bem o seu tempo. Vemos isso narrado o episódio do Evangelho deste Domingo (Marcos 1,29-39). Ele dedicava-se ao cuidado das pessoas, momentos de descanso, oração. Em sua missão e cuidado, visita os amigos, a família de André e encontra a sogra dele acamada e com febre. Marcos nos diz que Jesus aproximou-se dela, segurou em sua mão e ajudou-a a levantar-se.

O Senhor está sempre atento as necessidades das pessoas que estão em sua volta. Ele usa de uma pedagogia inclusiva e salvadora. Estende a mão para os que estão caídos e os ergue a fim de que possam assumir sua vida com responsabilidade, coragem, entusiasmo e alegria. Caídos não podemos seguir pelo nosso caminho. Precisamos aceitar a ajuda de quem nos estende a mão quando precisamos e fazer o mesmo àqueles que se encontram caídos em nosso caminho.

A nossa mão, porém, sempre segue a dinâmica do nosso coração. Quando ela não se estende aos necessitados, é porque o nosso coração está fechado e não se abre ao amor de Deus. Mãos fechadas, braços cruzados são sinais da indiferença que continua fazendo milhões de vítimas ainda hoje, inclusive no nosso meio, entre os cristãos.

Outro aspecto que trazemos a reflexão é a disposição missionária de Jesus. Ele está sempre em movimento e Marcos faz questão de realçar isso. O missionário tem que se deixar mover pelo Espírito Santo, pois é o próprio Espírito que nos impulsiona a ir ao encontro das necessidades dos irmãos e irmãs. A Igreja, a Vida Religiosa Consagrada, todos os batizados devem continuar sentindo-se corresponsáveis pela evangelização. O Evangelho não pode ficar engavetado, armazenado, escondido. Na verdade, a própria Palavra de Deus nos impulsiona na missão. Dá-nos ânimo, força, coragem a vencermos o medo e a acomodação. Assim tornamo-nos Evangelhos vivos, como nos dizia São João Calábria.

Para todos os batizados, evangelizar é uma necessidade, como diz São Paulo (2ª Leitura: 1Cor 9,16-19.22-23), pois, continua ele, a iniciativa, o encargo recebemos do próprio Senhor. É Jesus que nos chama, forma, envia e realiza tudo. Somos apenas instrumentos em suas mãos. Ele quer nossa disposição, o restante ele mesmo faz.

A vida é uma luta constante, como nos diz Jó (1ª Leitura Jó 7,1-4.6-7). Não podemos desanimar diante das dificuldades, pois a pobreza maior não é a falta de bens, mas estar longe do amor e da misericórdia de Deus. Quando estamos longe de Deus, desanimamos, perdemos a vontade de viver, somos insensíveis, preguiçosos, indiferentes. A vida, como nos lembra o ator do livro de Jó, é apenas um sopro. Passa muito rápido, por isso não podemos perder tempo com coisas insignificantes. Apostar em grandes ideais, gastar a vida com coisas boas e que nos tornam pessoas melhores, faz com que vivamos mais alegres, otimistas, cheios de esperança e amor.

Jesus tinha um grande ideal: salvar a humanidade. Qual é o seu? Caso ainda não tenha descoberto, busque ao Senhor e Ele mostrará onde deves gastar a tua vida.

Abençoada semana!

Saudações,
Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.