14 de dezembro de 2017

ESTAI SEMPRE ALEGRES

Estimados irmãos e irmãs. Caminhando rumo ao santo Natal, estamos no terceiro Domingo. Aumenta a expectativa com o que está por vir e eis que está próximo. Vamos celebrar juntos com toda a comunidade para nos animarmos na fé e assim vivermos bem a preparação. Acendemos a terceira vela da coroa do Advento de cor rósea, simbolizando e manifestando a nossa alegria pelo Natal que se aproxima.

Cuidemos para que a preparação ao Natal não seja apenas externa, como se fosse um acontecimento qualquer. Devemos antes de tudo, como já viemos refletindo, preparar bem o nosso coração. O comércio encheu as prateleiras de produtos para serem vendidos. Empresas investem em espetáculos com papai-noel e outros shows, mas isso não é o verdadeiro sentido e espírito de Natal. Natal é memória do nascimento de Jesus Cristo. Nosso Deus, nosso Salvador veio morar entre nós.

Os apelos à conversão continuam fortes na Palavra de Deus. Em todos os tempos foi e será preciso lembrar as pessoas que precisamos de conversão. Mesmo que esse clamor, para muitos, parece estar ultrapassado. Não existe santidade sem conversão e mesmo quando estamos no caminho do Senhor, todos os dias precisamos estar atentos e vigilantes para não nos perdermos do foco da nossa vida.

Gostaria de frisar aqui que este caminho, apesar de ser muito exigente, pois muitas vezes temos que lutar contra muitas coisas que gostamos e queremos fazer, mas que não convém, deve ser trilhado na alegria. Sim! Na alegria que vem do encontro “pessoal com Jesus Cristo”, como nos diz o Papa Francisco, e que ninguém pode tirar. Vale repetir: alegria do encontro. Só quem encontra um tesouro sabe a alegria que sente. Só quem verdadeiramente se encontra com Cristo, sente uma grande e inexplicável alegria que brota deste encontro e nunca acaba.

Este mesmo apelo a Palavra de Deus nos faz neste Domingo (2ª Leitura: 1Ts 5,16-24). Assim inicia a Carta de São Paulo aos Tessalonicenses: “Irmãos: Estai sempre alegres!” Os apóstolos viviam alegres mesmo quando sofriam perseguições porque a alegria deles vinha de Jesus Cristo. Mesmo passando pela Cruz, eram alegres porque não dependiam das coisas do mundo para serem felizes.

Quantas pessoas tem muito e são infelizes, amarguradas, deprimidas. Quantos tem pouco, mas por terem Jesus no coração, tem tudo e são alegres. Precisamos aprender com os simples que não precisamos de muito para ser feliz e que felicidade não está na posse das coisas, mas no amor.

São Paulo continua com outras exortações: “Rezai sem cessar”! Como é importante rezar. Precisamos ‘reacreditar’ (acreditar de novo) na força da oração. Não podemos abandona-la só porque as coisas não acontecem no ritmo que queremos e desejamos. Quem reza sempre, aprende e sabe da importância que a oração tem na nossa vida e que viver sem ela não é a mesma coisa.

Temos outros elementos que merecem ser destacados: “Daí graças em todas as circunstâncias”! Verdade. Precisamos ter um coração agradecido por todas as bênçãos, graças e benefícios que de Deus recebemos. Tudo provém dele e é para a sua glória que deve ser usado.

Para vivermos nesta alegria e sempre dando graças a Deus, o apóstolo nos lembra ainda que não devemos apagar o espírito, pois é ele que dá a vida em nós. É ele que nos anima na caminhada. Ainda precisamos estar atentos as profecias, a voz da Igreja, pois ela nos orienta, como mãe solícita, para não nos desviarmos do caminho, termos forças e discernimento para nos afastarmos de toda “espécie de maldade”.

Então deixemos “que o próprio Deus da paz nos santifique totalmente, e que tudo aquilo que somos – espírito, alma e corpo – seja conservado sem mancha para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo!”

Preparemos nosso coração para o encontro com a verdadeira alegria, Jesus Cristo.

O Senhor nos abençoe e proteja.

Saudações,
Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência