21 de dezembro de 2017

ALEGRA-TE, CHEIA DE GRAÇA

Estimados irmãos e irmãs. Chegamos ao quarto Domingo do Advento. Estamos as portas do santo Natal. Eis que o Senhor vem ao nosso encontro. Ele é o Deus presente no meio de nós que traz vida nova. Renova nossa esperança. Reacende a nossa fé.

Um dos elementos que nos acompanhou neste tempo, foi a coroa do Advento. Hoje acendemos a quarta vela. A de cor branca, simbolizando e suplicando a paz. Precisamos de paz. Sejamos instrumentos e construtores da paz.

Chegado o Natal, qual a vela que precisa acender ou reacender na tua vida, na tua família? Quem sabe a vela a esperança, da alegria, do perdão, da fé, da paz, da união, da fraternidade... Qual delas?

Então, meu irmão, minha irmã, chegou o dia de você acender esta vela e cuidar para que ela não se apague mais. Esta vela precisa ser acendida na luz verdadeira e que nunca de apaga: Jesus Cristo! Ele é a luz que ilumina as trevas que por ventura possam existir na nossa vida.

Neste Domingo tempos em destaque a presença de Maria. Como diz o anjo no Evangelho (Lc 1,26-38), é a cheia de graça, pois o Senhor está com ela. É assim que a Igreja Católica acolhe, reconhece e proclama. Eis a cheia de graça que é nossa Mãe. A maior entre as mulheres por ser mais dócil e simples entre todas. Viveu para, com e por Deus.

O Senhor nos privilegiou quando nos entregou, a cheia de graça, como nosso Mãe. Por isso, feliz quem a ela se confia. Diante dela as forças do mal são abaladas e o inimigo foge, pois ela vem trazendo no seu ventre o Filho de Deus e o seu coração está repleto do Espírito Santo e do amor do Altíssimo.

Com tudo isso o Natal é uma grande e solene celebração, pois muitas coisas bonitas são trazidas a memória. Celebramos a encarnação e o nascimento do nosso Salvador. Por isso não pode ser uma festa qualquer como tem se tornado para muitos. Bonito é ver que ainda muitos, assim como eu e você, temos consciência da grandiosidade deste acontecimento e o celebramos com toda a Igreja e nossos irmãos de caminhada.

Para que o Senhor realize também maravilhas na nossa vida, precisamos, como Maria, acolher o projeto salvífico. Deus tem muitas coisas para realizar na nossa vida. Cabe a cada um acolher a graça e deixar que ela realize aquilo para a qual foi enviada. Na vida de Maria aconteceram maravilhas porque ela colaborou com o projeto de Deus. Fez com que a graça recebida fosse multiplicada.

Este é um detalhe bem oportuno para ser refletido na nossa caminhada de fé. Deus, diariamente derrama muitas graças e bênçãos em nossa vida. Porém, as vezes ficamos tão distraídos, preocupados conosco mesmos que não acolhemos esta graça. Deixamos que ela passe por nossa vida sem a receber. Pode acontecer que recebendo esta graça, assim como a Eucaristia, não deixamos ela produzir frutos desejados por Deus. É de fundamental importância que colaboremos a fim de que a graça recebida produza frutos, santificando-nos.

Encerrando este tempo e iniciando o tempo do Natal, continuemos com os olhos fixos em Jesus, pois Ele faz novas todas as coisas. O caminho da fé não pode ser interrompido jamais.

Abençoado final de semana!

Saudações!

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência!