28 de setembro de 2017

Ano Vocacional Calabriano - Carta Superior Geral

“A vocação depende de Deus, e Deus não deixa de suscitar em abundancia segundo os desígnios da sua Providência. Mas sabemos que Deus quer servir-se também dos homens como seus instrumentos e auxiliares. ‘Quem te criou sem a tua ajuda, não te salvará sem teu auxilio’: esta palavra pode ser aplicada também às vocações.” (Padre Calábria, para ENRICO RUBALTELLI *R 19)

Caríssimos Irmãos e Irmãs da Família Calabriana presentes na Delegação Nossa Senhora Aparecida. A todos vós a paz, o amor e a alegria do Senhor. A Congregação, segundo uma indicação do XI Capítulo Geral, propõe a toda a Família Calabriana um ano para criar uma verdadeira cultura vocacional.

O objetivo principal é fazer um trabalho de sensibilização sobre a importância de escutar e cultivar o chamado do Senhor; promovendo encontros, orações e atividades com o objetivo de sermos mais sensíveis ao tema do discernimento e do chamado que o Pai dirige a cada pessoa. Em cada realidade procurar-se-á de envolver os grupos, as paróquias, as Casas onde estamos presentes para refletir sobre o sentido da vocação.

É um tema que diz respeito a todos e a toda a Igreja porque, como nos ensinou São João Calábria, devemos promover vocações para a Igreja; Sacerdotes, Religiosos e Leigos que escutando o chamado tornam-se disponíveis a responder com generosidade. Porém o Senhor se serve de seus instrumentos para fazer ouvir a sua voz. Penso ao meu chamado, hoje não estaria aqui, se Deus não se manifestasse através de instrumentos que criaram as condições para ouvir a voz: “Vem e segue-me.”

Ao longo deste ano será aprofundado o tema do chamado à vida religiosa, procurando de valorizar tanto a figura do Irmão, quanto da Irmã e do Sacerdote. Mas ao mesmo tempo procuraremos promover uma reflexão sobre a importância de viver em profundidade a própria fé e o próprio chamado, escutando a voz do Pai. Este é um aspecto que diz respeito, muito de perto, a todos nós, religiosos e leigos, para estarmos abertos à vocação e ao chamado de Deus.

O nosso ano vocacional coincide com o caminho de toda a Igreja em preparação ao próximo Sínodo dos Bispos, que será dedicado ao tema dos jovens e do discernimento vocacional. Verdadeiramente este é um sinal providencial e de extraordinária comunhão eclesial.

Como ponto de partida convido a todos vós a criarem uma sinergia com todos aqueles que nas nossas Casas se ocupam da pastoral vocacional. Comprometer-se concretamente no acompanhamento de jovens que estão à procura e em discernimento vocacional através da direção espiritual. Praticando a criatividade para envolver as paróquias, os grupos de jovens, sensibilizando-os sobre o chamado de Deus através de itinerários formativos, também entre os nossos colaboradores e grupos calabrianos. Por fim, a todos os que se ocupam diretamente da pastoral vocacional, que possam usar melhor os atuais meios de comunicação para chegar cada vez mais aos jovens que chegam a nós pelos meios virtuais, servindo-nos destes instrumentos para que chegue a eles a voz Daquele que os chama.

O instrumento mais importante para promover as vocações é a oração. Como diz Jesus no Evangelho: “A messe é grande mas são poucos os trabalhadores; pedi pois ao Dono da messe para que envie operários à sua messe.” (Lc 10,2). Certamente rezaremos ainda mais pelas vocações nas nossas Casas, e convido a toda a Família Calabriana presento no Brasil, a fazer o mesmo e oferecer, além da nossa oração, os sofrimentos e as fadigas diárias por esta particular intenção neste ano vocacional.

A todos vós a minha saudação fraterna, desejando de coração que esta iniciativa não seja somente para os outros, mas nos ajude a todos a responder com alegria à nossa própria vocação e chamado. Estou particularmente convencido que a força de atração dos jovens para responderem à vocação é nosso modo alegre de viver. Esta é a promoção vocacional mais eficaz.

Bom começo de ano vocacional!!!
Deus vos abençoe. Meu fraterno abraço a todos.

Pe. Miguel Tofful

Superior Geral da Congregação Pobres Servos da Divina Providência